Charles Bukowski conta como foi ter a pior ressaca do mundo

Charles Bukowski foi um famoso escritor marginal e um beberrão de primeira – autor de uma dezena de livros de contos, diversos tomos de poesias e 6 romances (o melhor deles é o “Misto-Quente” e o mais famoso, provavelmente, o “Mulheres”). Bukowski gostava de escrever sobre bebida, sexo, apostas em cavalos e a vida das pessoas comuns. Seus livros são facilmente encontrados em qualquer banca de jornal do Brasil, em suas edições de bolso publicadas pela L&PM.  No vídeo abaixo, o escritor descreve um ressaca terrível que terminou com ele presenciando uma tentativa de suicídio.

Se interessou pela obra do velho safado? Eu falei mais dele aqui.

bukoswki-bebida

10 dicas de escritores para quem quer ser escritor

Todo aspirante a escritor gosta de saber os conselhos de quem já se consagrou (que costumam ser variações de: “sente a bunda e escreva”). As seguintes dicas foram tiradas do primeiro volume das entrevistas da Paris Review, editado pela Companhia das Letras.

Ítalo Calvino e Jorge Luis Borges trocando macetes.

Ítalo Calvino e Jorge Luis Borges trocam figurinhas.


1)
“Sempre sonhe e atire mais alto do que você sabe que pode fazer. Não se preocupe somente em ser melhor do que os seus contemporâneos ou predecessores. Tente ser melhor do que você mesmo.” William Faulkner

2) “O único recurso que conheço é o trabalho. A escrita tem leis de perspectiva, luz e sombra, assim como a pintura ou a música. Se você ja nasceu conhecendo-as, ótimo. Se não, precisa aprendê-las. E depois precisa rearranjar as regras a fim de adaptá-las a si próprio.” Truman Capote

3) “Quando estou trabalhando em um livro ou em um conto, escrevo todas as manhãs, o mais cedo possível, logo depois do raiar do sol. Ninguém vem pertubá-lo, ainda está fresco, ou frio, e você pega no trabalho, e vai se aquecendo enquanto escreve.” Ernest Hemingway

4) “Você não precisa dele [o amor nos romances]. Você deve ter modéstia quando é um romancista.” Louis-Ferdinand Céline

5) “Depois descobri que as metáforas realmente boas são sempre as mesmas. Quer dizer, você compara o tempo a uma estrada, a morte ao sono, a vida ao sonho, e são essas as grandes metáforas da literatura, porque elas correspondem a algo de essencial.” Jorge-Luis Borges (N.A.: toma essa, Lobo Antunes)

6) “Ele [o escritor] deve ser julgado pelo prazer que proporciona e pela emoção que se tem com ele.” Jorge Luis Borges.

7) “Levo muito tempo para acordar, então de manhã escrevo cartas, reviso traduções – coisas que não me exigem muito. De tarde, vou à praia e nado por 20 minutos. Volto, como, dou uma cochilada. Sem essa cochilada não há possibilidade de criação. Das 4 às 8, trabalho para valer.” Manuel Puig.

8) “Se um autor estiver convencido de que é honesto e tem algo fundamental a dizer, é muito difícil que seja um mau escritor. Sente-se obrigado a passar, a transmitir suas ideias de modo claro. Por outro lado, se um escritor nada tem a dizer, mesmo que maneje as ferramentas da escrita, será um escritor menor.” Primo Levi

9) “Um escritor que esteja numa manhã produtiva, as frases fluindo uma após a outra, experimenta uma alegria serena e íntima. Essa alegria por si só libera, então, uma riqueza de pensamentos que pode gerar novas surpresas. Os escritores anseiam por momentos como esses, por manhãs como essas.” Ian McEwan

10) “Fico trabalhando num parágrafo até me sentir razoavelmente satisfeito com ele, escrevendo-o e reescrevendo-o até encontrar a forma exata, o equilíbrio exato, a música exata – até que pareça transparente e espontâneo, e não mais algo que foi “escrito”. Pode levar um dia, metade de um dia, uma hora ou três dias.” Paul Auster

listas

 

3 livros sobre… escrever

1) Oficina de Escritores – Um Manual para a Arte da Ficção, Stephen Koch (Martins Fontes)
oficina-escritores-stephen-koch
Eu não acreditava em “livros que ensinam a escrever” ou “oficina de escritores” até ser apresentado a esse excelente manual de Stephen Koch. O livro de Koch é extremamente prático e útil, foge da autoajuda e realmente auxilia o autor iniciante a melhorar seu texto, construir uma rotina e ter disciplina. Koch é sábio em afirmar que todo bom autor pode encontrar os caminhos da escrita sozinho, mas que isso é muito mais trabalhoso do que seguir o mapa cheio de atalhos dados por quem mais entende do assunto: escritores consagrados. A base de seu livro são dicas e reflexões de gigantes da literatura – muitas delas extraídas de entrevistas dadas para a revista Paris Review. Se interessou? Confira o próximo livro dessa lista!

2) As entrevistas da Paris Review Vol. 1, vários (Companhia das Letras)
entrevistas-paris-review-capa

Se você lê em inglês, então pode se deliciar com dezenas de entrevistas feitas pela fantástica revista literária “Paris Review” com os maiores nomes da literatura do século XX. Neste volume, a Companhia das Letras reúne algumas das melhores aulas práticas sobre escrever (e viver) dadas por grandes escritores como Hemingway, Céline, Borges e Faulkner.

3) Conversas com Woody Allen, Eric Lax (Cosac Naify)
conversas-woody-allen

O livro “Conversas com Woody Allen” é um grande workshop sobre escrever, processo criativo e cinema. Divididas em 7 temas, suas entrevistas com o famoso cineasta, roteirista, ator e escritor vão dos anos 70 até os 2000 e revelam todo processo de Woody para criar seus roteiros e livros. Um dos 7 temas é justamente “Escrever” e funciona bem pra quem está focado em melhorar seu método. Uma curiosidade sobre Woody: ele anota suas ideias em papéis e guarda tudo num saco. Quando vai fazer um roteiro ou livro, seleciona um dos papéis e começa a desenvolver a ideia.

tres livros sobre

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...